sexta-feira, 2 de abril de 2010

Conto de Fadas da Vida Real

Era uma vez em um Reino, onde as pessoas viviam em harmonia mesmo com as dificuldades, até a chegada da inescrupulosa Ivone.


"Ivone" (oi psicopata) era bem esse estilinho, quando entrou como coordenadora do Reino, prometeu mundos e fundos para todos, puxou o saco, elogiou, era um doce de ser humano, vc deve estar pensando não existe ninguém assim, é não existe mesmo, e isso foi descoberto a duras penas...




Aos poucos Ivone foi mudando o reino e a população da maneira dela, sem falar no comportamento, isso aos poucos, então as pobres cidadãs não percebiam o perigo iminente, acho que um dos motivos dessa mudança foi o fato de todas (todas porque só tinha mulheres) do reino eram muitoooo unidas quando ela entrou.

Começou com a "Valéria" (versão adulta do personagem da novelinha do Carrosel). Valéria, como alguns devem se lembrar era nervosinha, assim continuou na sua vida adulta. Era eficiente, porém, seu estresse e a falta de feedback da Ivone a deixou, digamos assim, desiquilibrada. Ela não se conformava que Ivone, como coordenadora de um Reino, não tinha a mínima noção do que Valéria fazia, e Valéria ganhava uma merreca. Resumindo, Valéria, em um momento de loucura pediu demissão e Ivone mais do que depressa aceitou. E ainda fez a coitada cumprir aviso prévio e treinar a nova cidadã. Primeira eliminada!



Logo Valéria foi substituida por Hardy, uma coyotinha que achava tudo péssimo no Reino, desde a Realeza até a faxineira. Reclamava de tudo, mas Ivone a achava o máximo, e seguia cegamente todas as suas opiniões. Por muitas vezes Hardy meio que humilhou Ivone, dizendo que ela tinha medo de falar com a realeza, enfim, meio que denegria a imagem de Ivone como coordenadora. mas nada abalava a "amizade"das duas.




"Rapunzel" (a princesa que sempre espera o príncipe encantado) dá uma desanimada, pois, trabalhava direto com a Valéria, e viu que se ela não conseguiu um reconhimento muito menos ela que trabalhava direitinho e estava com suas faculdades mentais em dia. Mas Rapunzel com sua paciência típica conseguiu fazer com que Ivone demitisse ela, tipo assim numa boa, como se fosse um acordo...Juntou a fome com a vontade de comer. Segunda eliminada!!



Rapunzel percebeu que tomou uma ótima descisão quando "Alice" (aquele que vive no País das Maravilhas) foi praticamente enxotada por Ivone do seu mundinho mágico. Alice, achava que tudo era perfeito, até Ivone com seus "defeitinhos" era para ela uma boa chefe, a elogiava, dava muitos feedbacks (êta palavrinha chata), enfim, Ivone como boa psicopata sabia manipular as pessoas. Alice era estagiária, mas fazia todo o trabalho de uma analista, mesmo assim, Ivoninha contratou uma analista para àrea da Alice. chamada "Fiona". Resumindo, Alice foi mandada embora sem nenhuma justificativa, e mesmo implorando para Ivone dizer o porque, escutou apenas que se tratava de uma estratégia e que ela mudaria a equipe inteira. Terceira Eliminada!




Bom Fiona, é um caso á parte, como boa ogra, comia o tempo todo na mesa de trabalho (de boca aberta), sem se preocupar com as migalhas caídas na mesa, jogava salgadinho na mesa suja e pegava com a mão (ergh), comia 2 pães com carne louca e uma garrafona de café com leite logo de manhã. E ela, não aguentava competição e tratou logo de queimar a Alice com a Ivone, dizendo que não precisava de ninguém para trabalhar com ela, que ela conseguia fazer o trabalho sozinha. E olha, essa aí era uma puxa saco de marca maior.


Antes disso "Funéria", estagiária do reino, foi avisada por Ivone (pelo menos foi) que seu contratado acabaria no final de abril. Funéria, achou um infortúnio, caiu na real rapinho, mas com o ocorrido da Alice, resolveu sair junto com ela, sem esperar o final de seu contrato. Quarta eliminada!


Quem sobrou, Conrada (versão feminina do caquizinho Conrado), o ser em questão depois de tantas, de já ter tentando conversar com a dissimulada em vão, resolveu ir direto para as cabeças e falar com a "Super Vicky" - A Rainha. Explicou sua insegurança, pois, todo mundo estava sendo trocado sem maiores justificativas e existia com certeza um "maternalismo" por parte da Ivone com a Fiona e a Hardy, como por exemplo: as duas podiam chegar umas 11:00 hs em dia de rodízio dos carros delas, as 3 alomoçavam juntas (almoço de 2 horas) critério estipulado pela prórpia Ivone, e outras cositas mais. Super Vichy, com sua postura neutra habitual, emonstrou compreensão, porém, disse que conversaria com a Ivone, mas que gostaria que Conrada tentasse conversar com ela também.




No mesmo dia Super Vicky falou com a Ivone, e no dia seguinte já viu, né...Ivone estava com sangue nos olhos e com vontade de matar Conrada...Quando Conrada pediu para falar com ela, Ivone mostrou sua verdadeira face e falou em alto e bom tom que não falaria de portas fechadas. Bom a partir desta postura, Conrada percebeu que não teria um entendimento e pediu demissão.


Conrada foi despedir-se da realeza, Super Vichy elogiou o trabalho de Conrada, e disse que gostaria que Conrada não tivesse pedido demissão. Conrada não aguentou e chorou. Foi elogiada também pelo Rei, que também como a Super Vicky elogiou seu trabalho. Mas já era tarde para Conrada, que mesmo feliz pelo reconhecimento da realeza não conseguiria conviver com a falta de príncipios de Ivone.



Adivinha quem sou eu neste Conto de Fadas??




4 comentários:

  1. Karina,

    Pode até ser que eu esteja errada mas tu és Conrada, tranquilidade amiga, as Ivones se enforcam sozinhas, demora, mas elas se enforcam.

    Essa ainda é minha esperança em Deus e no ser humano!

    beijos e boa sorte

    ResponderExcluir
  2. Oie meninas...É eu sou a Conrada =D meu sempre peco por ser a super sincera, às vezes penso que não fui feita para o mundo coorporativo...
    mas muitooooooooooo obrigado pelo apoio moral e bola pra frente

    ResponderExcluir
  3. Menina, já passei por isso tantas vezes que eu poderia escrever um livro. Te entendo e te apoio. Abaixo a burguesia

    ResponderExcluir

Pode soltar o verbo...Inconforme-se