quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sou Psicóloga e fui canonizada sem saber

Quando resolvi fazer Psicologia, nos meus àureos 17 aninhos, fiz pensando na àrea de RH, sério, mesmo... Já adorava o mundo organizacional desde aquela época. Na turminha, a maioria era clínica, e portanto, eu fazia parte das poucas sem noção que gostariam de trabalhar em uma empresa. Nunca vou esquecer do meu professor de Psicologia Industrial, explicando: "Não vá chegar no seu chefe falando sobre seio bom e seio mal". Ótimo conselho, e realmente é isso: não dá para ficar "clinicando" em empresa.

Mesmo não "clinicando", a maioria das pessoas mantêm aquele esteriótipo de que sou mágica, adivinhadora e profeta. Ou ainda tenho que lidar diariamente com a idéia de que Psicólogo é perfeito e: hummm, fala baixo, não aumenta o tom de voz, vive com a mão no queixo, não sofre por amor pq. sabe de todas as agruras e antevê as armadilhas, analisa cada espirro dado no meio de uma conversa, dá sentido a cada silêncio, tem resposta pra morte, tem discurso pra casamento, tem um repertório de caras e bocas pras dinâmicas de grupo, entende os sinais das pessoas, sabe o que pode e o que não pode, o que vale e o que não vale dizer ou fazer; não tem problema na família pq resolve todos com uma sessão...são chamados pra dar pitaco qdo. duas pessoas brigam no trabalho...são aquela gente meio vidente, que descobrem o que cada pessoa está pensando, sentindo e o que está por trás de cada comportamento.

O texto abaixo explica bem o que penso:

"Pois fica decretado, a partir de hoje, que psicólogo é gente também.
Sofre e chora, ama e sente, às vezes, precisa falar: O olhar atento, o ouvido aberto, escutanto a tristeza do outro, quando, às vezes a tristeza maior está dentro do seu peito.
Quanto a mim, fico triste e fico alegre e sinto raiva também.
Sou de carne e osso, e quero que você saiba isso de mim E agora, que já sabe que sou gente, quer falar de você pra mim?"
Cyro Martins

Na Universidade não me deram o Diploma de Santa

9 comentários:

  1. Adorei o blog, adorei teu jeito de escrever. Cuidado que eu volto, ein? haha

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Bem,convenhamos que vcs tem certas habilidades que não devem ser subestimadas kkkkkkkkkkkkkkk
    Um abraço !

    ResponderExcluir
  3. Oi, claro! Colocando os créditos e o link do blog, não tem o que se preocupar hauhauhauhauahu


    Desculpa se eu não responder alguma coisa agora, pois - como eu venho informando no outro blog - eu estou no meio de um congresso, com duração de 5 dias.

    Se colocar minha poesia aqui, vou ficar muito feliz!

    ResponderExcluir
  4. Te encontrei no blog da Dri e vim xeretar.Vou te acompanhar tá?Achei muito legal seu blog.

    ResponderExcluir
  5. Pessoal, muito obrigado, estava ficando um "pouquinho" desanimada, mas agora fiquei bem mais contentinha =)

    Gio, adorei mesmo sua poesia e com certeza vou colocar os créditos, mas eu ainda não sei colocar o link dos blogs kkkkk Que tosca...Mas eu não sei mesmo, não vou mentir...Qdo descobrir eu prometo que "linko" vc.

    ResponderExcluir
  6. Nossa!!!!!!!!!!!!!!! Minhas preces foram atendidas kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    E foi isso que te respondi lá no meu blog rsrsrs
    Eu sou psicóloga clínica, mas quando estou na clínica rsrs
    Fora dela, sou gente, normal rs..choro, sofro, tenho dúvidas, ciúme, raiva...
    La no blog, sou Déia, ta? Apareça sempre minha amiga e colega de profissão, que logicamente não é nenhuma santa rsrsrs
    bjs

    ResponderExcluir
  7. rsrsr Nossa...iamgino como às vezes deve ser ruim essas situações. É mais fácil te encontrarem em algum lugar e já ir desabando em cima de você, do que te olhar e querer saber se está tudo bem contigo. Até por porque, "é lógico que você está sempre bem, é psicóloga oras!"rsrs

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Adorei! Sou psicóloga também e outro dia ouvi que "não posso sofrer de insônia, pois sou psicóloga"....kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Pode soltar o verbo...Inconforme-se