quarta-feira, 29 de julho de 2009

Filminho da Disney

Mesmo com o risco de proporcionar minha própria desmoralização, eu admito: amoooooooooo filmes da Disney, e ontem assisti "Um faz de Conta que Acontece"(Bedtime Stories). Segue o resuminho:

Skeeter Bronson (Adam Sandler), o faz-tudo de um hotel, cuja vida muda para sempre quando as histórias que ele conta quando põe sua sobrinha e seu sobrinho para dormir misteriosamente começam se transformar em realidade. Ele tenta tirar vantagem do fenômeno, incorporando suas próprias aspirações pessoais em histórias cada vez mais bizarras, porém são as contribuições inesperadas das crianças que viram a vida de Skeeter de cabeça para baixo.

Maridon esta de "nano férias" (uma semana só), e aproveitando o relax dele empurrei mais um filminho-roubada. O filme é muito comédia, muito mesmo, dá para adulto assistir numa boa e não se achar o "Tonho da Lua", sério...

Tem uma cena em questão que eu me matei de rir, não vou contar senão perde a graça hehehehe mas vai uma fotinho dela.


Saiu meio desconfigurada =D
Amanhã, provavelmente viajarei com maridon para o interiorrrrrrr (isso se o dilúvio aqui em SP parar), daquele tipo de viagem esvazia-a-cabeça-enche-a-pança, e na volta conto novidades.
Bom final de semana para todos.
Bjo

terça-feira, 28 de julho de 2009

Delírios de Consumo da Dona de Casa

Sábado à noite, não estava a fim de assistir os programinhas de sempre da tv e aluguei o filme "Delírios de Consumo de Becky Bloom"..hehehehe..Não vou dar uma de super intelectual dizendo que só assisto filmes papo cabeça, até assisto, mas adoroo filminhos de comédia, sabe...tipo sessão da tarde...

Outra coisa, não gosto de assistir sozinha, então tinha a missão de convencer o maridon a assistir comigo, depois de dizer que na verdade o filme era "só" de comédia, não era só de mulherzinha, a contragosto ele aceitou. Aceitou mas com uma condição (tem que ter alguma, né) assitiríamos o filme dublado, justificando que filmes desse "nível" não era importante a representação dos atores..Aha tá...Odeio filme dublado, mas td bem, vai...Cada um cedendo um pouco...

O filme até que rendeu boas risadas (até do esposo), mas na minha opinião é bem àguinha com açúcar. Roteiro bem parecido com outros filmes do gênero, mas é válido para uma diversão descompromissada. O ponto bem negativo são os clichês: mulher adora gastar, é superficial, ingênua, essas coisas...Isso me irrita um pouquinho...

Aí começou meu pesadelo: segunda à noite no shopping. Eu sou uma pessoa super controlada com gastos, é verdade, sou mesmo. Vou com um objetivo e só compro depois de pesquisar quase todas as lojas. Mas ontem, sei lá deu um revertério, fiquei meio fora de controle, não comprei, mas estava com vontade de adquirir mais do que tinha planejado =D, pq tinha muitasss lojas em promoção.


Vendo meu estado alucinógeno, meu maridon soltou uma: tá parecendo a mulher do filme. Ahaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!! Quase dei uma de Lady Katy (Tô pagando!!!)...Fala sério!!! Aceitei as desculpas e a justificativa dele: vc está "atrapalhada" igual a mulher do filme...Hum hum...E voltei ao meu estado normal.


Tá vendo, isso que dá assitir esses filminhos com os respectivos...Chamem as amigas, a vizinha, sei lá, qualquer contato feminino que vc tenha. Pq qualquer coisa pode ser usada contra vc...no shopping.

domingo, 26 de julho de 2009

Meninas Malvadas - A Ressureição

É sério, eu já tinha desistido de continuar entrando em debates sobre o post "Meninas Malvadas" (já tinha até me libertado depois de ler o texto: Nunca discuta com idiotas), mas sinceramente tá rendendo...Mas meuu, eu eu não me conformo que os seres continuam me alfinetando...E nem é aquela história da carapuça servir, pq que eu saiba só eu, a blogueira sem medo de represárias, escreveu sobre o assunto, portanto as indiretas (que estão mas para diretas) são para mim.


Vou continuar não citando os nomes dos blogs, mas tem um em questão que eu acompanho direto, adoro, pego as dicas, que não sei porque cargas d' àgua acharam que o post foi direcionado para elas. Eu não vi que tinha um encontrinho-balada com as blogueiras em questão, que convidaram "indiretamente" a pessoa que vos escreve, senão poderia até ser que iria (lógico, protegida por 3 ninjas treinados e cinco amigas com estilo "nerds").


Espero que seja o último post que escrevo sobre este assunto, pq cansouuuuu...E haja make para disfarçar minhas rugas de preocupação.

Ahaaaaaaaa perdi a oportunidade de entrar no grupinho

Candidata Mediana

Como já expliquei, eu sou Psicóloga e trabalho em empresas, mas especificamente com Recrutamento e Seleção. Sim, sou daquelas bruxas que fazem perguntas difícies, aplicam testes sem sentido e te fazem passar por dinâmicas de grupo constrangedoras. Não pensem que eu gosto, infelizmente é necessário e esperado, às vezes nem acho que precisa de tudo isso, mas o doninho da vaga quer um semi deus, por mais que o salário não seja essas coisas.


Bom, estou a procura de um trabalho fixo, bem padrãozinho, parece loucura mas eu gosto de pressão, sabe...Os gerentes te culpando pelo funcionário que abaixou a calça em plena loja, o outro que vive arranjando treta com todos do depto, a outra que já pediu demissão justificando que a moça da seleção não explicou direito sobre a vaga (quê?), uma outra que rodou a banca (se é que vcs me entendem), viagens em que ia para lugares maravilhosos e só via o hotel e local de seleção, ficar sem almoçar (pelo menos emagrecia), abordar pessoas no shopping parecendo uma psicopata para ver se elas não queriam trabalhar (se eles quisessem trabalhar não estariam batendo perna no shop), no desespero oferecer trabalho a quem já o tem (e quase apanhar do gerente da loja, procedimento que minha ex ex chefe denominava como "hunting"=S), e mais um milhão de coisas...


Estou participando de alguns processos seletivos, e vou te dizer os salários não estão essas coisas e as empresas estão mais exigentes, justificando que é por causa da crise, hum hum...Fui na 2ª etapa de um processo para uma vaga que eu estava muitooo afim...Bom a entrevista era com a diretora da empresa e com a selecionadora que me entrevistou na 1ª etapa..


Tinha duas candidatas que entraram antes de mim, e este é um procedimento padrão, sempre é apresentado 3 candidatos: um ótimo, um bom e o outro mediano.


A sala de espera era bem perto da sala de entrevista, e sem querer e praticamente à força, escutei atrás da porta =). Coisa feia Karina, mas antes não tivesse escutado...As candidatas que foram antes de mim, no final, recebiam uma explicação detalhada sobre a empresa e sobre o cargo em questão, até aí tudo bem..Quando foi a minha vez, depois de falar igual ao homem da cobra, a diretora me dispensou rapidinho, dizendo que daria a reposta na sexta...


Concluindo: eu era a candidata mediana.


É, isso aí, casa de ferreiro espeto de pau. Não é pq eu sei quase todos os maçetes de seleção que sou aprovada nas entrevistas.


PS: é lógico que não me ligaram na sexta =D

sexta-feira, 24 de julho de 2009

A Sereia e o Monge

Leio qualquer coisa mesmo, adoro ir em livrarias, cheirinho de livro novo, essas coisas...Se vou no shopping, fico horas na livraria é até irrintante (para quem me acompanha, lógico). Os atendentes me olham até feio, mas já que não posso levar um montão de livros de uma vez, preciso escolher com cuidado. E seguindo a sugestão da Cynthia vou dar uma dica de leitura.


Um livro que não tinha muitas expectativas e que me surpreendeu foi "A Sereia e o Monge" (Sue Monk Kidd). Calma, não é nenhum livro de contos de fadas e nem sobre liderança...É um romance que narra a história de Jessie, uma mulher em crise que, para ajudar a mãe, volta para a ilha exótica onde nasceu, reencontrando seu passado, novos questionamentos e uma intensa e proibida paixão. A autora esmiuça, sem clichês, o amor, o casamento, a infidelidade e os desejos da atual mulher madura. Parecia que a Kim Basinger interpretaria no cinema o papel da Jessie, mas pelo jeito não deu em nada.


Homens, devem estar pensando, que saco que livro de mulherzinha...Mas, infelizmente é a verdade, é um livro que aborda temas muito femininos. Posteriormente, indico um unisex =)

Ironia

Meninas que me odeiam, coloquem suas máscaras de cílios à prova d'agua: eu ganhei uma promoção de um blog de beleza =D Sério, fiquei bege, quer dizer Nude.
Para ganhar os presentinhos importados (hehe) tinhamos que dar alguma dica de beleza através da comunidade no Orkut do blog http://www.chatadegalocha.blogspot.com/, que eu sempre elogiei. Minha dica foi daquelas tipo que a sua bisavó poderia dar.
Bem, na verdade, eu paguei a língua, esse é o único termo que vem na minha mente agora. Tudo bem que eu falei sobre alguns blogs de beleza, mas convenhamos que não generalizei, portanto, eu paguei meia língua =)

No mínimo irônico, não? Para não dizer hilário =D

É melhor não me empolgar com as minhas aquisições fashion, o resultado pode ser desastroso

Nunca Discuta com um Idiota



Gentem no blog http://www.fatosdefada.blogspot.com/, tem umas poesias , contos e afins ótimos...Super recomendo. Escolhi um excelente (na minha humilde opinião):



Nunca Discuta com Um Idiota


Nunca discuta com um idiota

Já nos dizia o nosso amigo Homer

que não é culto, e nem poliglota

Mas de burrice, isso entende o homem

Ignorar é sempre o mais plausível

Pois, se da prosa deres procedência,

Ele vai rebaixá-lo ao seu nível

E o derrotar com sua vasta experiência

Se, mesmo assim, achar que vale a pena

Do mesmo jeito que eu já tentei

A coisa, nem de longe, é amena

Então, não diga que eu não te avisei

Não se impressione se ele te acusar

De crimes que ele mesmo comete:

É coisa rara essa raça pensar

Sempre são, de tiranos, marionete

Deixe de lado a argumentação

Ele não ouvirá, de qualquer forma...

Infelizmente, assim as coisas são

-Ok, eu sei, você não se conforma!

Mas fique calmo, que aí vem mais,

vá treinando a sua paciência

Ele vai tirar logo a sua paz

Dizendo "Tive sempre coerência!"

Se nunca lidou com esses fulanos

bem normal ficar, assim, perdido

Porque, pra nós, meros seres humanos

A discussão tem que fazer sentido.


Gio

Legal, né?



quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sou Psicóloga e fui canonizada sem saber

Quando resolvi fazer Psicologia, nos meus àureos 17 aninhos, fiz pensando na àrea de RH, sério, mesmo... Já adorava o mundo organizacional desde aquela época. Na turminha, a maioria era clínica, e portanto, eu fazia parte das poucas sem noção que gostariam de trabalhar em uma empresa. Nunca vou esquecer do meu professor de Psicologia Industrial, explicando: "Não vá chegar no seu chefe falando sobre seio bom e seio mal". Ótimo conselho, e realmente é isso: não dá para ficar "clinicando" em empresa.

Mesmo não "clinicando", a maioria das pessoas mantêm aquele esteriótipo de que sou mágica, adivinhadora e profeta. Ou ainda tenho que lidar diariamente com a idéia de que Psicólogo é perfeito e: hummm, fala baixo, não aumenta o tom de voz, vive com a mão no queixo, não sofre por amor pq. sabe de todas as agruras e antevê as armadilhas, analisa cada espirro dado no meio de uma conversa, dá sentido a cada silêncio, tem resposta pra morte, tem discurso pra casamento, tem um repertório de caras e bocas pras dinâmicas de grupo, entende os sinais das pessoas, sabe o que pode e o que não pode, o que vale e o que não vale dizer ou fazer; não tem problema na família pq resolve todos com uma sessão...são chamados pra dar pitaco qdo. duas pessoas brigam no trabalho...são aquela gente meio vidente, que descobrem o que cada pessoa está pensando, sentindo e o que está por trás de cada comportamento.

O texto abaixo explica bem o que penso:

"Pois fica decretado, a partir de hoje, que psicólogo é gente também.
Sofre e chora, ama e sente, às vezes, precisa falar: O olhar atento, o ouvido aberto, escutanto a tristeza do outro, quando, às vezes a tristeza maior está dentro do seu peito.
Quanto a mim, fico triste e fico alegre e sinto raiva também.
Sou de carne e osso, e quero que você saiba isso de mim E agora, que já sabe que sou gente, quer falar de você pra mim?"
Cyro Martins

Na Universidade não me deram o Diploma de Santa

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Carrie A Estranha...dos Blogs

Meu post sobre Meninas Malvadas dos Blogs, tomou uma proporção, que vou te falar, viu.. Não imaginava...Alguns comentários que recebi, são no mínimo, infantis e ofensivos. Detalhe: anônimos. E como comentários anônimos não vou publicar, sorry.
Críticas ok, eu exponho numa boa, mas por favor, sejam mulheres (ou homens, talvez) suficientes para se identificar. Não se preocupem, não vou retrucar ofendendo e usando palavras como "eca" =), fiquem tranquilas.

Não estou tentando copiar ninguém, tudo o que eu escrevo é referente a minha vida e as minhas opiniões, portanto, acho difícil existir um modelo de blog parecido. Existem alguns blogs que eu gosto muito, e que me "inspiraram" a criar um só meu, mas daí copiar, me poupem. E sim, pedi humildemente a opinião de alguns, e muitos me responderam (daí o post sobre blogs de beleza) e a minoria não.

As discípulas xiitas fanáticas de alguns blogs estão tomando atitudes, que acredito que as próprias donas (dos blogs, claro) não saibam. Fica até ridículo: "vc nunca conseguirá ser igual a ela","seu blog nem se compara ao da fulana", "odiei o nome do seu blog, eca". Gentem, socorro, vou repetir pela milonésima vez, eu não citei nenhum blog específico, ACORDEM!!!! Se eu publicar esses comentários, vcs torrarão o filme dos blogs que vcs tanto veneram.

Também não tenho a pretensão de ser melhor, igual ou pior que alguém...Eu fiz o blog para mim, se as pessoas gostarem ótimo, se não gostarem paciência...Graças a Deus, cada um tem um gosto..Não gostou não olhem, pow!!!

Agora só falta me chamarem para um "encontrinho" e derrubarem sangue de porco =)

Espartilho Moderno

Barriga, minha companherona de todos os momentos bons e ruins, ela sempre esta lá, nunca me deixa esquecê-la, uma amigona mesmo. Impressionante como ela é presente, mesmo quando eu era esquelética, ela existia. Problemas de postura? Talvez...Docinhos acumulados? Provável...Eu converso sempre com ela, digo: "vai barriguinha se desapega de mim, por favor, eu sou tão gente boa, vai..." Mas não adianta...

E eu decididamente não vivo na academia, muito pelo contrário, não gosto muito daquele mundinho fitness, portanto e lógicamente, minha barriguinha não é tanquinho =) Eu vou lá toda proza no provador das lojas, experimento um vestidinho mega legal, um blusinha show, mas ela esta lá, a minha fofinha...Também não tenho din din suficiente para a mesa de cirurgia, e mesmo assim ela pode voltar, sempre volta...

Eu sei, eu sei...Exercícios aeróbicos Karininha, toma 2 litros de água por dia darling, chá de todos os tipos, abdominal (todo mundo sabe que não queima gordura só fortalece os músculos que estão bem escondidinhos atrás dela), fecha a boca, essas coisas...Mas ela mantêm-se firme. "Mantêm-se firme" é força de expressão, ela é tudo menos firme.


Mas vamos a minha best friend de todos os tempos. Ela não é nada assim enormeee, é uma protuberância, uma coisinha de nada =D Mas na era de dietas mirabolantes, doenças comportamentais relacionadas a magreza, culto ao corpo, roupas que só entram na Olivia Palito, sugiro uma solução paliativa para as que possuem essa protagonista em suas vidas: CINTA MODELADORA.
Antes que vc grite: "Cinta é a treva", pensem bem. Elas estão superrr modernas e quase não dá para perceber que vc esta usando. O espartilho moderno funciona mais ou menos como aquelas calças modeladoras vendidas por telefone em programas de televisão. Reduz a barriga, esconde as gordurinhas e deixa você com um corpinho de miss sem precisar comer salada por uma semana. É lógico que no verão é humanamente impossível utilizá-las, mas no inverno é tranquilo. Eu uso sim, de vez em quando (não todo dia que ninguém merece).
Gentem até a Beyoncé, Sienna Miller, Katy Perry, Eva Longoria usam e outras celebs tb, viu....


Eu já usei a da Trifil (R$ 17,90), mas ela tem uma costura bem no meio da barriga que parece uma cicatriz de uma cirurgia realizada por um açouqueiro. E ultimamente eu uso da marca Lupo (R$ 20,50).





Existe uma marca gringa, a Spanx, que é tipo a pop star das cintas, mas não tenho certeza se entregam no Brasil. As que vendem na televisão não sei se funcionam.

Aposto que são pouquissímas as mulheres sortudas que ignoram totalmente sobre o que eu estou falando. Provavelmente, são as que vivem na academia, vivem de dieta, vivem no cirurgião, nunca engravidaram e/ou tem menos de quinze anos =)




Cena do Filme: "Diário de Bridget Jones"

terça-feira, 21 de julho de 2009

Adotar um Gremlin é tudo de bom?

Não vai achando que é esse aí, não...Vou contar a história do início:

Adoro bichinhos, sou tipo Felícia mesmo, saio apertando todos que vejo pela frente...Quando casei mudei para um "apertamento" e tinha me conformado que não poderia ter um bichinho de estimação e um passarinho, peixe e hamester não eram opções para mim. Em uma bela noite, depois que estacionamos o carro, eu e meu maridon escutamos um miado estridente vindo da rua atrás do estacionamento do condomínio. Depois de descartamos a minha idéia que poderia ser um nenêm (valia qualquer argumento para convencer meu marido de ver o que era) quase chorei para verificarmnos se o bichinho estava em apuros, prometendo que só iria "ver" se ele estava bem =D
Fomos na rua totalmente escura e deserta, meu super maridon, entrou no meio do mato (era um terreno baldio) e com muito esforço achou o "bichinho"...Gentem, quando ele me mostrou quase tive um treco, todos os meus instintos estéticos gritaram: O gato era um Gremlin, só que pelo jeito já tinha comido depois da meia noite e jogaram àgua tb. Cruzes...Jesus acende a luz!!
Falei (na verdade acho que gritei) para o Dan deixar aquilo onde estava e fingirmos que nada aconteceu. Eu sei, eu sei...foi uma atitude totalmente sem compaixão, mas o Dan, mesmo não morrendo de amores por gatos, foi mais racional e disse que no outro dia arranjaríamos um lugar para a pequena criatura.

Ok, ok...assim, sim...Fomos para casa, deixei o serzinho na lavanderia, dei leite morninho, àgua e pão (eu não sou tão ruim assim). E vcs não acreditam, no outro dia (calma, o bichinho não ficou lindinho), antes de ir trabalhar, meu maridon ultra mega bonzinho levou o gato no veterinário, descobriu que era uma "gata" que tinha aproximadamente 1 mês, deram banho a seco, colocaram fitinha, deram vermifugo, vacina...Qual não foi minha surpresa ao chegar em casa, o bichinho mais zoado que já vi (como diz minha amiga Márcia) estava até que apresentável, e o meu benzinho comprou a caixa de areia, cobertor, caminha, ração de bebes gatos e potinhos fofos. Não é um lord?

Mesmo assim não desistimos da idéia de dar a gatinha. Entrei em contato com as associações, institutos, ongs, tudo...Mas todas pedem para vc ficar com o animal até a adoção..Mas, me digam, quem adotaria a pequena monstrinha? Pq é muito fácil adotar um animalzinho fofinho e peludinho, mas um que realmente necessite, aí o buraco é mais embaixo....Apelei para os parentes e consegui que meu primo, com um enorme coração, adotasse ela...Mas o tempo foi passando e eu fui enrolando para levá-la até ele...
Por fim, pegamos amor pela desmilinguidinha e ela é tão boazinha, faz tudo na caixinha, não precisa levá-la para passear, uma fofa...
Porém, de noite, como uma verdadeira Gremlin, ela tem seus ataques: acabou com o sofá novinho em folha (foi preciso fazer uma capa de sarja hiper cara), abre as gavetas e tira tudo que tem dentro (é verdade), arranha a porta do quarto quando não a deixamos entrar, e outras mil coisas, que só um mutante faz.
Em agosto a Cindy (podem rir, o nome dela é Cinderela) faz 2 anos, e posso dizer a vcs:

"Adotar um Gremlin, é sim, tudo de bom!"


Olha aí, a foto, para comprovar que a Cindoquinha é a cara do Gizmo transmutado!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Trauma Infantil Inconsciente Mal Resolvido

No post anterior fiquei com a impressão, com um comentário, que não posso ter minha própria opinião. Se isso é julgar, me perdoem, não foi mesmo minha intenção, sério...Costumo dizer o que penso, sou inconformada, e isso se refletiu no blog. Mas repito, não mencionei nenhum blog, não coloquei nomes e infelizmente se a carapuça serviu, só lamento...

Esteriótipos, infelizmente, existem sim e sempre existirão, é um comportamento do ser humano, ok... Por exemplo: é, no mínimo indelicado, "esteriotipar" pessoas ou acontecimentos de mau gosto, com o nome de uma pessoa, pensem bem...

Trauma de infância, pode ser, né, nunca se sabe =) De repente uma amiguinha do jardim da infância tinha a lancheira mais bonita, vai ver que na pré-escola a galerinha fashion não me aceitou, sei lá...Que bom que existem os meu coleguinhas terapeutas para resolverem essas minhas questões inconscientes.

Mas não, não deixem a explicação do meu trauma a Freud, please...Aí sim, seria um baita castigo...Nada contra Psicanálise, mas eu sigo a linha Humanista... "Maslow, especialmente, criticou vementemente a psicanálise ortodoxa freudiana por generalizar suas conclusões sobre o ser humano a partir da observação clínica de indivíduos emocionalmente perturbados, do que resultou uma visão pessimista da natureza humana (Maslow, 1993)".

Querida que não gostou do que escrevi, não prestou a atenção no post elogiando e muito os blogs de beleza.

Para finalizar, fiquei com a sensação ainda de bulling: Não segui o que estava no script e olha só...

domingo, 19 de julho de 2009

Meninas Malvadas dos Blogs

Porque eu tenho a impressão que as mocinhas que administram os blogs mais bam bam bans, são como aquelas que existiam nas escolas, sabe? Aquelas iguais a daquele filminho "Meninas Malvadas"? Aquele grupinho seletivo que esnobava todas que achavam que não eram tão especiais quanto elas...
Gentem não é nenhum trauma colegial, até pq, eu fazia parte da turminha do meio, não era tão nerd, mas não era deste tal grupinho, sabe... Nunca senti necessidade também de ser uma seguidora das tais garotas, porém, nesse mundo dos blogs parece que as novas blogueiras são totalmente rechassadas se não estão no perfilzinho adequado. É quase um bulling dos blogs femininos.
Como todo bom grupinho, existem regras para vc conviver neste habitat:

1- Vc não pode convidar ou pedir para as mestras das mestras olharem seu novo blog. E nem peçam, nem implorem, elas não vão olhar mesmo, e se olharem não emitirão nenhum comentário à respeito. A não ser é lógico, que vc esteja no padrão ou plagiou algo delas (descrevo a seguir);
2- PeloAmorDeDeus!, nunca, mas nuncaaaa, copiem (isso é feio mesmo) e nem se baseiem em nenhuma idéia delas, como os termos (Ex. Creusa), as imagens, um comentário, qualquer coisa, pois, vc vai levar um xingão em rede nacional (e talvez internacional) de blogs;
3- Compre produtos em sites internacionais, carésimos, mas cuidado vc pode gastar todo o seu rico dindin neles, mas tudo bem, o importante é ter status;
4- Não se esqueça de tirar fotos com suas novas aquisições (ex: comprou um rímel super sônico passe e tire as fotos do antes e depois/ Viu uma ropitcha na moda e barata, câmera na mão, e assim vai);
5- Façam blogs bem cutis, com bonequinhas, cor de rosa, com bichinhos, enfim, o céu é o limite;
6- Compareçam nos encontrinhos com as mega blogueiras, se o encontro for no Brasil, lógico...Geralmente são em frente a uma loja de produtinhos, acessórios, roupas que são a última tendência ou cursos de maquiadores, estilistas e afins;
7- Participe dos concursos propostos, principalmente, porque essa será a oportunidade de vc ter algo importado e caro de graça =)
8- E para finalizar, finja que seu blog não existe, faça comentários, sigam os delas, mas não crie expectativas.
Seres destes blogs, não estou julgando ninguém, longe de mim, mas convenhamos, que vcs são osso duro de roer, e é bem difícil agradá-las. Nós, blogueiras newbie, nos espelhamos em vcs, e queremos uma opinião se estamos no caminho certo, não vai tomar muito do tempo precioso e atribulado da vidinha de cada uma, certo? E não custa nada ser humilde, educada e gentil com as pessoas.
Bom pessoal, recado dado, não quis ofender ninguém (até pq não citei nenhum blog específico)...E só espero, que como no filme, não acabe me transformando em uma delas.

Cena do Filme "Meninas Malvadas" - mas, fala sério, não parece aqueles encontrinhos das blogueiras pop stars nos shoppings =D

sábado, 18 de julho de 2009

Audrey Hepburn era uma dona de casa inconformada?

Será que Audrey Hepburn, ícone dos anos 50 e 60, era uma dona de casa inconformada?
Vou explicar do início o sentido da minha pergunta, com um texto retirado do site http://www.pt.wikipedia.org/.
Audrey foi considerada, a príncípio, uma garota "alta, ossuda, de pés excessivamente grandes para se tornar uma estrela". Mas Audrey, mesmo vivendo na época em que as baixinhas, de curvas generosas, pés miúdos e olhos claros imperavam, soube usar os seus "defeitos" como seus dons e conquistar o mundo com seu lindo rosto, sua elegância e seus profundos olhos castanhos. Segundo o estilista Givenchy, que era incumbido de vestí-la, Audrey era um ideal de elegância e uma inspiração para o trabalho dele.
Audrey sempre será lembrada pelo filme Breakfast at Tiffany's (1961 - Bonequinha de luxo no Brasil, Boneca de luxo em Portugal) como "Holly Golightly", uma prostituta de luxo que sonhava em se casar com um milionário, papel totalmente oposto ao com que ela foi premiada com o Oscarde 1954, em que vivia "Ann", uma princesa que fugindo de seus deveres reais, se apaixona por um jornalista interpretado porGregory Peck, em A Princesa e o Plebeu (Roman Holiday, 1953).

O ator Gregory Peck , par romântico de Audrey no filme A princesa e o plebeu (Roman Holiday, 1953), foi quem a apresentou ao ator Mel Ferrer, que, depois de participar de uma peça com Hepburn, pediu-a em casamento. A atriz contracenou no filme Guerra e Paz (War and Peace, 1956). Os dois fizeram um casal, em que Audrey interpretava uma aristrocrata russa, que se apaixona pelo princípe da Rússia André (Ferrer).

Hepburn casou-se duas vezes, primeiro ao ator americano Mel Ferrer, e logo a um psicólogo italiano Andrea Dotti. Ela teve um filho com cada um – Sean em 1960 por Ferrer, e Luca em 1970 por Dotti. O padrinho de seu filho mais velho é o autor britânico A.J. Cronin, quem residiu perto de Hepburn na Lucerna.
Depois do nascimento dos filhos, abandonou a carreira no cinema. Ao final de sua vida, nomeada embaixadora da UNICEF, trabalhou incansavelmente como voluntária para causas infantis.

Além de um rosto bonito, Audrey era uma mulher humilde, gentil e charmosa, que preferia cuidar dos outros a seu redor do que de si mesma. É considerada a eterna "bonequinha de luxo". Faleceu aos 63 anos, de câncer no apêndice.

Ok, ok... Audrey, largou sua carreira de sucesso para cuidar da família? É isso mesmo? Ela era uma dona de casa inconformada?

Nâo posso responder a nenhuma destas perguntas por ela (só se eu for em um centro espírita =D), mas ressalto a todas as mulheres que abriram mão de seus trabalhos para cuidar da família, que se até a Audrey Hepburn teve essa atitude, por que não nós, reles mortais?

Mas atenção, a bonequinha de luxo (ou Amélia de luxo), se dedicou a outros afazeres em sua vida, não ficou apenas limitada a sua vida doméstica. E acredito que por isso, não deve ter se sentido frustrada.
Lógico, que não precisamos nos transformar em presidentes da UNICEF (se der parabéns!), mas no mínimo nos dedicarmos a projetos que nos façam evoluir: um trabalho voluntário, um curso, enfim algo que acrescente em nossas vidas.
Estou com a impressão que logo, logo, não serei mas uma dona de casa de meio período, acredito que conseguirei em breve o trabalho dos meus sonhos (efetivo, período integral, com muita pressão=D). Ainda não tenho filhos, mas se for preciso abandono a carreira para me dedicar à eles (com dor no coração).
Não quero que esse pensamento se concretize, pois, acredito que mulheres modernas, conseguem sim, administrar a casa, os filhos e o trabalho (e os animais de estimação), mas se eu não conseguir, me espelharei no exemplo de Audrey Hepburn, e não me sentirei diminuída pela escolha.

Martha Medeiros sobre Casamento


Martha Medeiros é o máximo, sério, adoro suas crônicas, seus textos, seus livros, qualquer comentário que ela faz é pertinente, e quase sempre parece que aquilo já aconteceu com vc. Tive consciência da existência da Martha (que intimidade =D) sem querer, fuçando nas comunidades do Orkut, e posso te falar foi admiração a 1ª vista.
Ela escreve com uma realidade e sinceridade cortantes que me deixa com a sensação: "Nossa, era isso que eu queria dizer e não sabia", é incrível. Já li dois livros dela (Divã / Doidas e Santas), e tudo dela que tem disponível na internet, inclusive seu blog tem ótimas dicas de livros e filmes (e outras coisitas mais). Super recomendo, não só para as mulheres, mas para os homens também.

Fizeram uma ótima adaptação do livro Divã para o cinema, ótimo para quem tem uma preguicinha de ler, vale a pena assistir, é muito real e engraçado. PS: Como já escrevi, não só para as moiçolas para para os rapazes tb recomendo.

Segue um texto da Martha sobre casamento que é maravilhoso:
Promessas de Casamento

Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento a igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre. "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:
- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?

- Promete saber ser amiga(o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?

- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?

- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?

- Promete se deixar conhecer?

- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?

- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?

- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?
- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?

- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros.


Cloro: Relação de Amor e Ódio



Eu como dona de casa, inconformada, mas dona de casa, que não tem empregada e nem diarista, inevitavelmente preciso fazer faxina em casa. Não costumo fazer as coisas pela metade, então quando vou lavar o banheiro, eu literalmente lavo o banheiro. Não uso só um paninho com desinfetante, eu me jogo em todos os produtos possíveis e imagináveis e já inventados para limpar o banheiro. Meu banheiro fica tão limpo, mas tão limpo que dá orgulho =D

Mas vamos a minha relação com o CLORO ou para as mais chiques o LIMPA LIMO. Bom, o Limpa Limo é mais caro e o Cloro é bem mais baratinho (compro naquelas lojinhas que vendem até em garrafas Pet) e tem o mesmo resultado, eu garanto. Primeiro abro todas as janelas, portas e afins, coloco em um recipiente spray (pode ser qualquer um: de cabelo, do próprio limpa limo), coloco uma roupa bem velha (o cloro mancha roupa e tudo o que toca), um pano amarrado no rosto (tipo bandido de faroeste), se vc tiver um óculos de proteção também utilize (é sério, não estou brincando). Com todo esse cuidado, começo a arremessar cloro em todo o banheiro, principalmente nos rejuntes que ficam meio escurinhos.

Deixo agir por alguns minutos e lavo. Depois passo com uma vassoura sabão em pó (para tirar o cheiro insuportável e limpar as sujeiras mais resistentes) e por último um pano com desinfetante.

Eu adoro o Cloro, ele é muito eficiente, tira tudo mesmo e o mais importante: mata todas as bactérias, mas odeio ao mesmo tempo: ele é muto forte, fico até meio atordoada, minha garganta dói, e nem pense em chamar uma visita no mesmo dia que vc usou do dito cujo (nunca mais essa visita vai voltar na sua casa).

PS: caso vc tenha bichinho de estimação, mantenha o mais longe possível do banheiro por horas.

Use com moderação

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Crise de Abstinência de Lost

Eu amooooooooooooooooo a série Lost e estou e completa crise de abstinência de novos episódios com os meu queridinhos. Pelo simples fato de não ter TV a cabo (é, é muito pobre, eu sei) pois, no meu condomínio tem muita burocracia e só temos duas opções: Sky ou Sky...É a máfia, e eu me recuso a entrar no esquema (e meu rico dinheirinho tb)...Bom, eu alugo então os CDs na locadora mesmo, parei no décimo capítulo da quinta temporada e última =(

Voltando a vaca fria, assisto Lost desde o início (acho que começou em 2004), e fiquei totalmente e irremediavelmente viciada, mal podia esperar parar assistir o que viria na próxima semana (tinha TV a cabo na casa dos meus pais). Adorooo tudo, os personagens, os mistérios, o medinho que dá, tudooo. Da primeira até a segunda temporada, dava até para engolir como "isso poderia acontecer comigo", mas depois, nem pensar, ficou tudo bem surreal, mas não deixou de ser legal...

É uma séria de aventura, suspense, mistério, mas está tudo vinculado com as questões emocionais dos personagens...É incrível...J.J. Abrams que bolou tudo isso é um gênio, pode ter certeza. Quem assisti precisa ficar bem concentrado, pois os episódios, vão para o passado, e voltam para o presente, vão para o futuro e podem voltar para o passado, vão para um universo paralelo... ops me embolei... Aparece urso polar no meio da selva, tem os "outros" e/ou hostis, tem um japa que explica sobre a ilha em vídeos antiguíssimos que sempre dão defeito no final, tem uma fumaça do mal (que na maioria das vezes) suga os figurantes, nunca sei quem é do bem e/ou do mal (às vezes tenho dó do Ben). É uma loucura, um turbilhão de informações.

Cada personagem tem uma história ótima, todos sem exceção são interessantes e cheios de enigmas (tudo bem que na 5º temporada eles não estão tão enigmáticos). Não tenho um preferido, sou meio volúvel em relação a Lost (é claro =D), e a cada capítulo posso mudar de opinião.
Para quem nunca assistiu Lost, eu recomendo...Mas o Ministério da Dona de Casa adverte:

"Assistir Lost pode viciar"
Olha os meu queridos

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Blogs de Beleza



Fora os sites de emprego, alguns blogs de escritores e de filmes que adorooo, visito também vários blogs de coisinhas de mulher.... Sabe aqueles que tem umas dicas super legais sobre produtinhos de beleza, moda, com dietas, essas coisinhas...

Destes tipos de blog tem vários que eu adoro, mas os que eu visito com frequência, são:


Tá, tá...não me venham com preconceito, dizendo que são blogs superficiais e/ou fúteis, algo do genêro, pois não são...As pessoas que escrevem nestes blogs são inteligentíssimas e com criatividade encontraram um nicho e estão fazendo sucesso.

Conheço vários "seres"que se dizem cultos e modernos, que nunca entrariam neste tipo de blog, e tenho para mim, que por isso as aparências destes não são assim uma "Brastemp".

Eu não sou um modelo de beleza, minha maquiagem não é das melhores, estou um pouquinho acima do peso, esses detalhes de gente normal. Porém eu tento melhorar, procurando dicas úteis.

"As aparências enganam" - vou ser um pouco do contra: nem sempre. Tudo bem, que nem todo dia saímos no maior glamour de casa, principalmente quando é para ir no mercadinho em frente de casa. Lógico que tenho urticária quando uma vendedora de uma loja de grife me olha com aquela cara:"entrou para ver e não vai comprar nada". É óbvio que ela esta julgando pela aparência, mas pessoal, nem oito nem oitenta, vamos lá, uma produçãozinha não faz mal a ninguém, certo?

Além de ser ótimo para nós é excelente para as pessoas que convivem conosco: demonstra o mínimo de consideração.

Então, queridas, antes de julgar conheça.

PS: Olha que legal que descobri no blog da chatadegalocha, o batom super caro da MAC (Hue) tem um genérico igualzinho da marca Elke - Nude / Nude Rose (é...aquela marca baratinha mesmo que tem em todo o lugar) já comprei o meu e adorei. Brigadim pela dica Lu (copiei a fotinho do seu blog, thanks)



Elke Nude 197 - MAC Hue

Final de Semana Chuvoso = Filminho DVD


Neste final de semana, estava bem chuvoso aqui em sampa, e eu estava com um resfriado horroroso, então sair não era uma opção... maridon lindon alugou alguns filmes, vou comentar um: Doubt (ou Dúvida):


"Meryl Streep vive a Irmã Aloysius, uma freira que desconfia do excessivo interesse de um sacerdote católico (Philip Seymour Hoffman) por um jovem estudante negro. Ambos entram em um combate verbal violento para esclarecer o caso.".


Parece desinteressente, mas não é... É ótimo e faz refletir sobre o que falamos sem pensar...Sabe, aquela fofoquinha aparentemente inocente que fazemos, pois é, pode prejudicar em muito o alvo do infame e infundado comentário...


Fora os excelentes atores, recomendo o filme, porque realmente me deixou em "dúvida"...Bom não vou dizer o porque, senão, estrago o final.

Trabalho, trabalho...




Bem como eu já escrevi, sou uma dona de casa de meio período...Não amo de paixão essa condição, sinto muita falta de trabalhar em uma empresa período integral, almoçar com as amiguinhas, ficar na correria, se arrumar para ir trabalhar, ser produtiva, ser reconhecida, levar bronca (até disso eu tenho saudade), viajar... Bom trabalhar em uma empresa tem suas vantagens, é seguro e confortável...Porém tem suas desvantagens para as donas de casa:

1) Se vc não tem uma empregada, seu final de semana fica totalmente preenchido com afazares domésticos, isso é péssimo, principalmente porque queremos muitooooooooo sair depois de uma semana estressante, e ficamos tão cansadas que não temos ânimo (eu, particulamente, não tinha);
2) Se vc tem filhos, o tempo de convivência com os mesmos fica bem menor, gerando um pouquinho de culpa;

3)Tempinho com o maridon, ou namorado tb diminui. Vc chega inevitavelmente cansada e não tão bonita, e ainda precisa verificar o que precisa fazer em casa...No caso do marido, por mais que ele te ajude, nunca é o suficiente, às vezes até atrapalha =);

4) E, por fim, mas não menos importante, o tempo com vc mesma é muito escasso - academia: só se for de madrugada, curso: tem tb de madrugada ou final de semana depois da faxina?, lazer: hein?, salão de beleza: socorro...

Então, mocinhas, antes de reclamar que vc não tem um emprego, que se sente inútil, que esta frustrada, pense bem pois seu pedido pode se realizar... Eu repito estes 4 itens para mim mesma, quem sabe eu não me conformo e paro de procurar um emprego efetivo...

Acho difícillllllllllll =)


quarta-feira, 8 de julho de 2009

Rainha do Lar




Bom pessoal, começo hoje meu blog... Sim, simn, sim...sou uma rainha do lar newbie, faz dois anos que casei e sempre tem alguma aventura (para não dizer desastre) em casa.

No período em que fiquei desempregada, virei "do lar" em período integral, não que isso seja ruim, mas parece que quanto mais vc fica em casa mais serviço tem, ou problema =)

Ainda fui obrigada a ouvir das pessoas: "que vida boa, não tá fazendo nada, só relaxando, tá de madame mesmo..." Hã??? Como se fosse moleza deixar a casa chuchu beleza.

Acredito piamente que existam mulheres que se realizam nesta ocupação, mas infelizmente, não é meu caso. Tentei, tentei mesmo, mas não dá...Eu me sinto frustrada e pouco produtiva, e me sinto esquisitissíma em pedir din din para o meu maridon, ele não fala nada, mas eu me sinto mal...

Porém, minha carreira de dona de casa não foi uma opção, longe disso, o mercado de trabalho apronta várias para manter nós mulheres no seu lar doce lar...Bem, estou me habituando, aprendi a usar melhor meu tempo e consegui um trabalho free com orientação profissional e vou levando...

Gostar de ser "Amélia" não é nenhum crime, mas com os tempos modernos e toda independência feminina, o mínimo que nós, donas de casa podemos fazer é evoluirmos: fazer cursos, ler jornais, acompanhar os estudos dos filhos, criar um blog (rs), conseguir um trabalho de meio período...

O importante é buscar aprender coisas diariamente, e com esse blog, pretendo ajudar meu crescimento intelectual e, por que não, superficial.

Vamos lá Amélias do Novo Século, esqueçam o conformismo, sejam INCONFORMADAS.